3 de jan de 2014

4º DIA Acordamos e logo pós o café seguimos para conhecer Salta e seus atrativos, SALTA....Em toda a Argentina, Salta é conhecida como "la linda". E com razão. Essa cidade verde está a mais de mil metros de altura e ainda preserva seu estilo colonial nas casas e ruas estreitas da capital da província de mesmo nome. É uma mistura equilibrada de grande metrópole com tradições culturais anteriores à chegada dos incas.
E é bem no centro de duas geografias bem opostas que Salta nos leva para todos os caminhos. De um lado, os altos cumes andinos; de outro, as planícies orientais de clima quente e úmido. As ruas são divididas em quarteirões do mesmo tamanho, de tal maneira que alguém habituado às excitantes ruas que sobem, descem, estreitam e alargam, se perde em menos de dois minutos. As construções mais altas parecem ser as torres dos campanários das igrejas, pintadas de branco e tons creme que lembram suspiros e gelados - com a escandalosa exceção da Igreja de S. Francisco, cor de tijolo com colunas brancas e rebordos amarelo-dourado,esta elegância colonial que atrai os turistas, sobretudo nacionais, que procuram conhecer este recanto do país. Em volta do jardim da Praça 9 de Julho, que marca o centro, perfilam-se uma Câmara Municipal do século XVIII, a catedral e o edifício do museu de Arqueologia de Alta Montanha, onde uma importante coleção - que inclui os corpos com mais de quinhentos anos de três crianças incas encontradas no cimo do vulcão Llullaillac.
Em primeiro plano seguimos até o teleférico onde você avista toda a cidade, compramos os tickets somente de subida, pois a ideia é descer de bike.
Do alto se avista a cidade e seus arredores, possui uma linda rede de quedas de águas artificiais, tiramos fotos do topo do morro descemos de bike com um guia local, tudo no seu devido seguro, capacete luvas, cotoveleiras e joelheiras, ja deu para matar a saudade da bike que ficou em casa.

Após a descida fizemos uma caminhada no centrinho parando para comprar  lembranças do local, seguimos em direção ao museu na praça central, compramos os boletos e entramos neste museu, não se pode tirar foto do mesmo, mas confesso que tanto eu como meu amigo Selvino ficamos maravilhados com o que vimos ali, trata-se se múmias de três crianças encontradas no alto do vulcão, um menino e duas meninas, elas teriam 15  e 6 anos e o menino teria 7 anos aproximados e todos em perfeito estado de conservação, toda a história desta descoberta esta relatada em vídeo onde você assiste na entrada do museu.

Após esta visita almoçamos trocamos moeda local, e por volta das 15:00 seguimos para Purmamarca 176 km distante de Salta, passamos pela ruta 9 conhecida como caminho de Corniza, esta estrada com 76 km tem apenas 4 metros de largura é muito linda, passa por um vale verde parece nossa mata atlantica.

Rodamos 93 km pegamos uma leve chuva ao passar por SAN SALVADOR DE JUJUY neste caminho é impressionante como a vegetação muda do verde para um semi-deserto.

Chegamos em Purmamarca encontramos nosso amigo Henrique, combinamos de seguir juntos no dia seguinte, nos hospedamos em um hotel perto de onde ele estava hospedado, voltamos cerca de 26 km até Tilcara para abastecer, voltamos para Purmamarca e jantamos, rimos um monte com as filmagens que fizemos, fomos dormir, pois o dia seguinte seria terrível, sair da Argentina e seguir para o Chile passando pela costa do Lipán e o Paso de Jama,  a uma altitude superior a 4800 metros.



































 OS MALAS





 ESTRADA LARGA OU EU QUE SOU





Nenhum comentário:

Postar um comentário