16 de mar de 2015

2º Dia - EXPEDIÇÃO ATACAMA

2º Dia (De São José do Cedro a Presidência Roque Seanz Pean - AR)

Antes de iniciar o relato de hoje vou falar do grupo, atualmente somos composto por seis motociclistas, eu (Rony),  Mario, Marcio, Mano, Sergio e Dily, pela primeira vez por motivos alheios tivemos que começar nossa expedição divididos, quatro de nós antecipou a saída pois precisamos revisar as motos na BMW em Salta AR, e dois, o Mario e Marcio saíram mais tarde porém combinamos de nos encontrar na quinta 19/03 em Salta e aí sim o grupo estará completo.

Agora vamos ao relato de hoje, saímos as 7:00 de São José do Cedro SC com destino a fronteira com a Argentina, antes passamos na loja de um grande amigo motociclista, Carlos Gargamel, para fazermos uma visita, nosso trâmite aduaneiro levou pouco mais de uma hora, a ansiedade era grande para rodar novamente no país vizinho; Seguimos com destino a San Inácio para a visitação das ruínas jesuíticas logo que chegamos compramos os bilhetes de entrada e adentramos ao parque onde se encontram as ruínas. Na entrada você observa explicações ilustradas de como eram as missões, datadas de 1605 foram construídas por padres jesuítas, com intuito de educar e catequizar o povo guarani que vivia nesta região, região esta que engloba os países  Argentina, Brasil e Paraguai.

Hoje só ruínas e um pequeno museu com artefatos da época e ferramentas se avistam no local, mas a grande atração está por conta da imponente igreja que ali se encontrava, somente uma parte da entrada da porta principal esta ainda de pé, uma parte do altar também se avista, junto com capelas e casa onde moravam os índios e o alojamentos dos padres, adega subterrânea e um patio enorme de fronte a igreja.

Os jesuítas construíram ali oficinas onde ensinavam o povo guarani artes como musica, carpintaria, cultivo de frutas e hortaliças além de educar e doutrinar o povo,a guerra entre os países, a invasão do complexo para a prática de escravidão dos guaranis e a expulsão dos jesuítas contribuiu para a extinção das missões.

Seguimos por boas estradas com o calor sempre nos acompanhando novamente superando os 36 graus, nossa meta do dia era rodar 850 km e conseguimos com certa dificuldade, chegamos no hotel as 21:30 completamente exaustos.Estamos na região do chaco a sensação é que estamos num caldeirão, amanhã pegaremos um trecho da pampa del inferno, não preciso nem dizer o porque desse nome (rsrsrsrs).














3 comentários:

  1. Daê rapazes! Este lugar é mesmo quente, um caldeirão de calor, mas também de muita cultura. Passando o Chaco, só alegrias!... e a beleza vai brotar novamente em Salta! Desejo que desfrutem de grandes experiências e fico aqui viajando no blog enquanto vocês aceleram as bravas companheiras! Forte abraço do Selva!

    ResponderExcluir
  2. Rapazi, to acompanhando. Muito show. Boa viagem a todos! Abs, neto cagão!

    ResponderExcluir